A cadeira alimentar e as cobras

 

Todas as cobras conhecidas são carnívoras e poucos animais atrevem-se a se alimentar de cobras. Isso faz com que as cobras estejam no topo da cadeia alimentar. Geralmente elas alimentam-se de pequenos mamíferos, aves, repteis, insetos e ovos. Não sendo a maior parte das espécies muito grande, isso, no entanto, não dificulta muitas vezes que uma cobra possa comer animais muito maiores do que elas. A gigantesca cobra Piton da África já foi registrada engolindo uma gazela inteira cujo diâmetro era muitas vezes maior do que a de seu corpo.

A Alimentação

Esse fato excepcional da alimentação das cobras deve-se a diversos fatores de sua estrutura anatômica e comportamento. Um desses fatores é a excepcional abertura das mandíbulas que as cobras são capazes de realizar quando estão a engolir suas presas. Ao contrario do que imagina o dito popular o que ocorre não é que as cobras são capazes desarticular sua mandíbula inferior possibilitando assim que sua boa possa se abrir em um diâmetro maior do que seu próprio corpo.  O fato é que as cobras conseguiram desenvolver em sua evolução um conjunto de ossos e articulações em suas mandíbulas e no crânio capazes de se expandirem quando a cobra está a engolir sua presa.



Outro aspecto do comportamento alimentar das cobras que as fazem ocupar um lugar no topo da cadeia alimentar. É o fato de que diversas espécies desenvolveram técnicas de alimentação e caça capazes de fazê-las capturar animais muito maiores do que elas. As sucuris, por exemplo, desenvolveram uma técnica de captura e grandes roedores, como capivaras onde elas abocanham uma parte da presa e as levam para o fundo do rio, matando-as por afogamento. Após isso elas enrolam-se em suas presas e num forte “abraço” começam a esmagar os ossos para facilitar a ingestão do animal.

Obviamente não podemos esquecer também o fato de diversas cobras possuiem potentes venenos. Dessa forma as cobras venenosas geralmente conseguem abater animais de tamanho considerável apenas com uma picada. Após o que elas passam a seguir a presa até que o veneno comece a fazer efeito e o animal esteja imobilizado.

Poucos animais arriscam-se a comer cobras. Dentre eles está a Harpia, Harpia harpyja, uma poderosa ave de rapina que vive na Floresta Amazônica. Ela possui poderosas garras e uma envergadura de asas de mais de dois metros e meio, nos animais adultos. Embora suas presas prediletas sejam macacos e outros mamíferos de considerável porte, já foi encontrado vestígios de que elas poderiam comer inclusive cobras.